Diário das Presidenciais 2021 – 13 de janeiro

Facebook

Primeira observação: ao contrário do que tinha acontecido anteontem, o dia de ontem teve mais interações no Facebook a propósito dos candidatos do que o mesmo dia da semana anterior, que tinha contado com o debate entre Ventura e Marcelo.

No ranking dos candidatos no dia de ontem, a liderança pertenceu a André Ventura novamente, com 22.500 interações (reações, comentários e partilhas), quase dois terços do total. No segundo lugar aparece João Ferreira (8 mil interações) e no terceiro surge Ana Gomes (1900 interações) que trocou de lugar com Marisa Matias.

 

As duas publicações que mais atenção despertaram no Facebook dos candidatos durante o dia de ontem são também e André Ventura e referem-se ao comício realizado em Santarém, uma com uma foto do candidato a outra com um vídeo “live” do evento (5 mil reações no primeiro e 2.800 no segundo). A terceira e quarta publicações mais populares são ambas de João Ferreira e também se referem as duas ao mesmo assunto: a declaração e apoio de Isabel Moreira (com um vídeo – 829 reações e uma foto – 1036 reações.)

 

No ranking dos posts publicados por outras páginas acerca dos candidatos, retirando os próprias candidatos, as páginas que mais interações geraram acerca deles incluem duas páginas de apoio a Ventura no Top: a página do Partido Chega e a página do Partido Chega em Coimbra. A página do Observador aparece a seguir e logo depois a página do comentador e jornalista Daniel Oliveira, sobretudo por causa de um post em que explica porque razão fez entrevistas a seis dos candidatos presidenciais (com exclusão de Ventura).

 

Os posts mais populares sobre os candidatos refletem isso. Dois deles são do Chega – um sobre o comício em Santarém e outro a aludir a uma acusação de compadrio no caso do procurador José Guerra – e o terceiro é do jornal Observador, mas também sobre André Ventura.

EXTRA: Veja, em tempo real, a evolução diária dos candidatos no Facebook aqui: https://bit.ly/presidenciais2021

 

Twitter

No Twitter, Ana Gomes e Marisa Matias disputaram a liderança. Ambas publicaram bastante nesta rede social no dia de ontem (Ana Gomes 18 vezes, Marisa Matias 14) e obtiveram um grande alcance com isso (ligeiramente mais Ana Gomes do que Marisa). João Ferreira também publicou bastante nesta rede (14 tweets), mas obteve menos alcance. André Ventura, mesmo publicando pouco (4 vezes ontem) continua a ser de longe o mais mencionado. Fala-se muito sobre André Ventura nesta rede social.

 

Os tweets mais partilhados do dia de ontem são divididos irmãmente entre os candidatos de esquerda. A candidatura de João Ferreira promoveu um vídeo com uma das frases marcantes do debate a 7 – “Os afetos de Marcelo Rebelo de Sousa são como a riqueza nacional, existem mas estão muito mal distribuídos” – e com isso conseguiu 315 partilhas, 56 respostas e 1500 ‘likes’. Ana Gomes, por seu lado, adotou um vídeo destinado às redes sociais para fazer um post “de género” a apelar às mulheres (117 partilhas) e Marisa Matias fez uma publicação dirigida aos jovens com um vídeo intitulado “A primeira vez” (104 partilhas).

 

Nos posts publicados sobre os candidatos, o primeiro – com 377 partilhas – é do utilizador Gaspar Macedo e elogia Tino de Rans por ter sido o primeiro a prever a terceira vaga de Covid e a propor o adiamento das eleições. O segundo é um tweet em que Marine Le Pen sumariza a em vídeo a sua visita a Portugal para apoiar André Ventura (364 partilhas) e o terceiro é o já referido tweet de João Ferreira em que ele se refere aos “afetos” de Marcelo Rebelo de Sousa (315 partilhas).

 

 

Instagram

No Instagram o dia foi de João Ferreira. Foi aquele que publicou mais (8 posts num dia) e aquele que por isso obteve mais visibilidade, com um total de 5.300 interações, entre likes” e comentários. Marisa Matias disputaram o segundo lugar, com 2.700 e 2300 interações respetivamente. A seguir surge Tino de Rans que, como habitualmente, publicou bastante (5 posts) e com isso obteve 1900 interações. André Ventura parece ter desistido definitivamente desta rede, uma vez que voltou a não publicar nada n dia de ontem.

Os posts mais “virais” dos candidatos no Instagram também foram equitativamente distribuídos por toda a esquerda. Em primeiro ficou um posts em vídeo de Marisa com perguntas e respostas sobre a candidata e os seus projetos, com 1400 likes. Em segundo aparece um post com foto de Ana Gomes, também sobre as suas propostas, com 1400 likes igualmente. E o terceiro post é ocupado por João Ferreira, com um vídeo feito à volta da já referida frase sobre os afetos de Marcelo (1200 likes).

 

Nos posts publicados sobre os candidatos no Instagram, dois deles brincam com a sucessão (e contradição) de testes de Marcelo. O primeiro é da conta “Um Universitário Também Chora” e partilha um tweet que diz que Marcelo parece um aluno do Técnico, com 4 testes em 24 horas e só um deles positivo. Teve 8700 likes. O outro, no terceiro lugar, é do comediante Nilton e, advoga a possibilidade de Marcelo estar grávido, na sequência de uma gaffe de uma jornalista, num direto, em que trocou a palavra “infeção” com “gravidez” (3.200 likes). Pelo meio, um post de Marine Le Pen com o mesmo vídeo da sua visita a Portugal em apoio a André Ventura (4.500 likes).

 

 


NOTA METODOLÓGICA: Este estudo destina-se a analisar quantitativamente a presença e atividade dos candidatos presidenciais e das suas campanhas em três das principais redes sociais em Portugal (Facebook, Twitter e Instagram). Para o efeito, estão a ser analisadas as páginas de Facebook e contas de Twitter e Instagram oficiais, do candidato e da campanha, de Ana Gomes, André Ventura, João Ferreira, Marisa Matias, Tiago Mayan Gonçalves e Vitorino Silva. Marcelo Rebelo de Sousa não dispõe de contas oficiais nestas redes sociais, mas estão a ser analisadas as principais contas de apoio à sua candidatura. Foram considerados todos os candidatos constantes do boletim de voto, com exceção do candidato Eduardo Baptista, que ainda não apresentou as proposituras necessárias para poder concorrer. Os dados são extraídos através das ferramentas Crowdtangle (para o Facebook e o Instagram) e Brandwatch (para o Twitter). A data de recolha de dados é aquela que se encontra assinalada em cada quadro. As métricas usadas para comparar o desempenho dos candidatos e a popularidade das publicações são as interações (reações, comentários e partilhas), no caso do Facebook e do Instagram, e as impressões (número de vezes que o conteúdo foi exibido) ou os retweets (partilhas), no caso do Twitter. Para identificar as publicações sobre os candidatos com mais interações foi feita uma pesquisa a partir dos nomes dos candidatos. A recolha e tratamento de dados é da responsabilidade do Medialab CIES Iscte-Iul. A metodologia detalhada deste barómetro pode ser vista aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.