Presidenciais 2021 nas Redes – Semana de 29 de dezembro a 4 de janeiro

A semana foi de João Ferreira, graças a André Ventura

Presidenciais 2021 nas redes sociais é sinónimo, por enquanto, de debates televisivos com posts e imagens sempre referindo-se às prestações dos candidatos. O candidato mais social nas redes é André Ventura. Se é habitual André Ventura dominar as três redes (Facebook, Twitter e Instagram), dada a estratégia de ausência de Marcelo Rebelo de Sousa, há também um preço a pagar por esse domínio. Pois, instalou-se uma rotina em torno da candidatura de André Ventura. Ou seja, torna-se repetitiva a sua liderança e o que sobressai na atenção nas redes sociais é a novidade. Esta semana a novidade chama-se João Ferreira e a sua boa prestação nas redes também se deve a André Ventura e às suas interrupções constantes durante o debate entre os dois candidatos na TVI. João Ferreira, foi o candidato que mais visibilidade ganhou face à semana anterior e, embora ainda longe do dia da votação, a prestação nas redes pode ser o augúrio do duelo que colocará na posição de terceiro mais votado André Ventura ou João Ferreira. Tino de Rans surfou também a onda de André Ventura com a rábula das pedras. Já Marisa Matias e Ana Gomes mantiveram as suas boas prestações em algumas das redes mas não nas três em simultâneo. Embora não se note muita desinformação nas redes, o destaque para a má informação vai para os posts de André Ventura onde gráficos são utilizados para baralhar as grandezas na comparação entre candidatos. Uma nota também para a novidade que é ter comentadores individuais, embora com passado e presente de presença na comunicação social, a obterem mais visibilidade na análise das presidenciais do que os próprios jornais, rádios e televisões. Camilo Lourenço é outra das novidades das presidenciais ao conseguir a atenção que outros não conseguem.

 

Candidatos no Facebook

Os debates entre candidatos na televisão já começaram e isso é visível nas publicações com mais interações no Facebook, que continua a ser dominado por André Ventura, embora esta semana também tenha favorecido João Ferreira. Após um debate polémico marcado por interrupções constantes, André Ventura criticou o não cumprimento de João Ferreira, que o deixou “de braço no ar” (9.468 interações). O debate entre os dois candidatos também levou João Ferreira a entrar com uma publicação no top 3 (2.324 interações). Neste post, que ocupa o terceiro lugar, informa que o site da candidatura foi abaixo devido ao excesso de tráfego, na sequência das acusações de Ventura de que o site teria referências a Lenine. Na segunda posição temos o resultado de uma sondagem da Pitagórica para a TVI/Observador, publicado por André Ventura, que coloca o partido Chega em terceiro lugar entre as forças partidárias nacionais (5.130 interações).

No ranking das páginas dos candidatos com mais interações, os dois primeiros lugares são ocupados pelos protagonistas do debate mais quente até 4 de Janeiro: André Ventura e João Ferreira. O candidato apoiado pelo Chega mantém a liderança das semanas anteriores, tendo realizado uma média de 2 publicações por dia que lhe valeram mais de 70 mil interações. Em segundo lugar, João Ferreira foi o mais ativo com mais de 3 posts por dia, subindo uma posição, por troca com Marisa Matias, e ultrapassando as 23 mil interações. A página João Ferreira foi a segunda que mais cresceu (6,04%), e conseguiu mesmo a maior taxa de interação por número de seguidores (7,9%) apenas superada pela sua página pessoal (8,3%). Na terceira posição, Marisa Matias conseguiu um total de 7 mil interações, embora tenha sido menos ativa, com uma média de 1,3 posts por dia.

Na evolução diária das interações vemos novamente o candidato apoiado pelo Chega e o candidato apoiado pelo PCP em destaque. Ferreira aumentou as interações no dia do debate e nos dias seguintes. Definitivamente, o debate entre ambos foi o que fez vibrar o Facebook nesta semana. Ventura atingiu o máximo de interações no dia a seguir ao debate, a 3 de janeiro, quando fez 5 publicações, onde se contam 3 relativas ao debate com João Ferreira. As outras 2 publicações remetem para resultados de sondagens, uma que relaciona a quebra do CDS com o crescimento do Chega e outra em que Ventura aparece apenas atrás de Marcelo Rebelo de Sousa, como o candidato que os portugueses convidariam para beber um copo. Curiosamente, o principal pico de interações com João Ferreira ocorre no dia do debate com André Ventura, dia 2 de Janeiro, em que a publicação em destaque é a do anúncio do próprio debate, havendo ainda três posts sobre a atividade de campanha nesse dia, e um outro com um vídeo dirigido aos portugueses a viver no estrangeiro.

No que respeita às páginas de Facebook com mais interações em publicações sobre os candidatos, repetem-se as três primeiras posições da semana passada. Camilo Lourenço lidera, com apenas 4 posts, superando as 58 mil interações. Logo atrás aparece André Ventura, que nas suas 17 publicações conseguiu 55 mil interações. Mais longe temos a página do Chega, com 22 posts e 30 mil interações. De notar ainda que as páginas Chega afrente-Coimbra e Observador, que até agora fechavam o top 5, perdem relevância esta semana. Em sentido oposto, sobe a TVI, que também capitalizou em interações por causa do debate, e ascendeu ao quarto lugar do ranking.

Nas publicações sobre os candidatos com mais interações, o destaque continua a ser repartido entre Camilo Lourenço e André Ventura. O economista posiciona-se como comentador das presidenciais com mais influência no Facebook, e coloca dois vídeos nos dois primeiros lugares, um com 15.850 interações e outro com 15.669. No terceiro lugar reencontramos a publicação de André Ventura que ocupa o primeiro lugar entre candidatos, a propósito do não cumprimento no final do debate com João Ferreira.

Veja, em tempo real, a evolução diária dos candidatos no Facebook aqui: https://apps.crowdtangle.com/iscteiulfacebook/boards/presidenciais2021diario

 

Candidatos no Twitter

Se André Ventura ganhou no Facebook, João Ferreira parece ter ganho no Twitter. Entre 29 de dezembro e 4 de janeiro, os dois candidatos captaram as atenções no Twitter, com o debate entre ambos a ocupar as 3 publicações com mais partilhas (retweets). No primeiro lugar temos uma publicação de João Ferreira a dar conta de que o site da sua candidatura foi abaixo, após os ataques de Ventura terem levado a uma corrida ao seu site (200 partilhas). Curiosamente, o tweet de João Ferreira surge 1 hora depois de um outro de André Ventura, que procurou alimentar a polémica em torno do site da campanha adversária após o debate (180 partilhas). O debate entre ambos ficou marcado por interrupções constantes, o que motivou João Ferreira a partilhar uma versão editada deste debate, em que é possível ouvir o candidato comunista a falar sem as interrupções de André Ventura (174 retweets).

Os debates entre candidatos marcaram o início de uma grande atividade nesta rede social, com os tweets com referência ao nome dos candidatos a disparar no dia 3 de janeiro, o dia do debate entre João Ferreira e André Ventura. Este gráfico é revelador de um fenómeno conhecido como “dual screening” (ver televisão enquanto consumimos conteúdos relacionados nas redes sociais), que no caso dos debates televisivos passa por comentar no twitter a performance dos candidatos no debate, utilizando as hashtags das campanhas ou outras como “presidenciais2021” ou “DebatePresidencial”.

A atividade dos candidatos no Twitter mantém o padrão da semana anterior, com Ana Gomes a ser a mais ativa com 80 tweets e 42 retweets (partilhas de tweets de outras contas) e João Ferreira a manter o segundo lugar com 48 tweets. Nas restantes contas encontramos um equilíbrio no número de publicações (entre 17 e 21), sendo de destacar que os tweets de João Ferreira superaram as 1.000 partilhas, à frente de André Ventura (879) e de Marisa Matias (511). Ana Gomes é a candidata que tem maior audiência, mas recebeu menos partilhas e menções do que estes três candidatos, parecendo não estar a conseguir potenciar o seu Twitter tanto quanto poderia.

No gráfico das visualizações é possível constatar que Ana Gomes estava muito à frente no início da semana, mas que essa liderança foi disputada pelas contas de Marisa Matias e de André Ventura. João Ferreira também conseguiu alcançar muitos utilizadores no final da semana e Vitorino Silva também se mostrou nesta rede social.

No que diz respeito às menções aos candidatos (identificação das suas contas nos tweets), a semana foi de menos a mais, reflexo do início dos debates no dia 2 de janeiro. Aqui destacam-se de novo as contas de João Ferreira e André Ventura, mas também de Marisa Matias, que no dia 2 inaugurou os debates com Marcelo Rebelo de Sousa. O próprio Vitorino Silva, que se estreou nos debates frente a André Ventura no dia 4 de Janeiro, justificou muitas menções no Twitter, sobretudo pela parábola feita com pedras de várias cores, interpretada como um ataque ao candidato apoiado pelo Chega.

Nas publicações sobre os candidatos com mais partilhas no Twitter, o debate entre André Ventura e João Ferreira ocupou as três primeiras posições, em tom crítico para Ventura e atribuindo a vitória ao candidato comunista. A publicação mais viral no Twitter aponta a estratégia por detrás das interrupções constantes de André Ventura (849 partilhas). Na publicação que ocupa o segundo lugar é relembrado o apoio de Marie Le Pen a André Ventura (748 retweets). Por fim, na terceira posição surge uma publicação que elogia a forma como João Ferreira apontou críticas a André Ventura: “lendo o programa do Chega”.

 

 

Candidatos no Instagram

No instagram André Ventura consegue 3 em 3, sendo dele as publicações dos candidatos com mais interações. No primeiro post, André Ventura surge numa fotografia ao lado de dois membros do seu partido, para mostrar a diversidade racial e descolar-se das acusações de racismo (3.392 interações). No segundo post, Ventura revela um vídeo do PCP a propósito dos 150 anos do nascimento de Lenine, para sustentar a veracidade das acusações feitas no debate com João Ferreira. A fechar o top 3, temos uma publicação que ocupou o segundo lugar no Facebook, em que André Ventura destaca o terceiro lugar do seu partido numa sondagem da Pitagórica para a TVI/Observador.

No ranking das contas por total de interações vemos, tal como nas semanas anteriores, André Ventura isolado no primeiro lugar, com quase o dobro das interações de João Ferreira (15.600 vs 8.800). Na verdade, João Ferreira publicou e cresceu mais que Ventura no Instagram, sendo que a diferença entre os dois deve-se à dimensão relativa do número de seguidores (92 mil contra 3.300). O candidato comunista conseguiu assim esta semana ultrapassar Marisa Matias, sendo que a candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda alcançou mais de 6 mil interações. De destacar ainda Vitorino Silva, que com 1.800 interações conseguiu ficar à frente Tiago Mayan (1.400).

Ao nível da evolução diária das interações, André Ventura teve uma performance superior, embora disputada por Marisa Matias no início da semana e também por João Ferreira no final. A semana de Ventura no Instagram começou da melhor forma, sendo que no dia 29 de dezembro as publicações sobre a diversidade racial do partido e sobre a sondagem que coloca o Chega como terceira força política, que ocuparam o primeiro e o terceiro lugar no top da semana, valeram-lhe o maior pico de interações. O melhor dia de Marisa Matias foi 30 de dezembro, em que combinou uma publicação a anunciar o debate com Marcelo Rebelo de Sousa com uma outra a assinalar a despenalização do aborto na Argentina. João Ferreira teve o maior pico a 2 de Janeiro, dia em que fez mais publicações (5), destacando-se o post com fotografias da visita ao bairro da Boavista, em Lisboa, mostrando a atividade da campanha no terreno.

Nas publicações sobre os candidatos com mais interações no Instagram destaca-se o anúncio da presença de Vitorino Silva no programa de humor de Ricardo Araújo Pereira (7.192 interações.) Em seguida encontramos um tributo ao intérprete de linguagem gestual, que teve a difícil tarefa de traduzir em gestos o debate Ventura-Ferreira (3.498 interações). A fechar o top 3 desta semana, observamos a primeira arruada de André Ventura para as presidenciais, recordando-nos que, apesar do contexto de pandemia dar maior centralidade aos debates televisivos, os candidatos procuram também persuadir os eleitores na rua, num contacto próximo e direto que não é possível através das redes sociais.

 


NOTA METODOLÓGICA: Este estudo destina-se a analisar quantitativamente a presença e atividade dos candidatos presidenciais e das suas campanhas em três das principais redes sociais em Portugal (Facebook, Twitter e Instagram). Para o efeito, estão a ser analisadas as páginas de Facebook e contas de Twitter e Instagram oficiais, do candidato e da campanha, de Ana Gomes, André Ventura, João Ferreira, Marisa Matias, Tiago Mayan Gonçalves e Vitorino Silva. Marcelo Rebelo de Sousa não dispõe de contas oficiais nestas redes sociais, mas estão a ser analisadas as principais contas de apoio à sua candidatura. Foram considerados todos os candidatos constantes do boletim de voto, com exceção do candidato Eduardo Baptista, que ainda não apresentou as proposituras necessárias para poder concorrer. Os dados são extraídos através das ferramentas Crowdtangle (para o Facebook e o Instagram) e Brandwatch (para o Twitter). A data de recolha de dados é aquela que se encontra assinalada em cada quadro. As métricas usadas para comparar o desempenho dos candidatos e a popularidade das publicações são as interações (reações, comentários e partilhas), no caso do Facebook e do Instagram, e as impressões (número de vezes que o conteúdo foi exibido) ou os retweets (partilhas), no caso do Twitter. Para identificar as publicações sobre os candidatos com mais interações foi feita uma pesquisa a partir dos nomes dos candidatos. A recolha e tratamento de dados é da responsabilidade do Medialab CIES Iscte-Iul. A metodologia detalhada deste barómetro pode ser vista aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.