Presidenciais 2021 nas Redes – Semana de 12 a 18 de janeiro

Para além do vermelho e negro

Nesta primeira semana de campanha oficial a análise remete-nos para o poder dos opostos e para o judo digital aplicado à política. A semana nas redes foi construída a partir de um comentário depreciativo de André Ventura sobre Marisa Matias que, por via de um golpe de judo digital, isto é, usando a crítica do adversário para o criticar, deu origem ao movimento #VermelhoEmBelem. Depois da resposta da esquerda a André Ventura com o uso do vermelho, foi a vez de Ventura tentar responder com uma rábula sobre o uso do negro, a qual não teve grande sucesso.

Embora mais tenha acontecido nas redes, a imagem que fica é a de uma semana que pode ser descrita como de André Ventura contra todos e (quase) todos contra André Ventura.

Quase, porque alguns candidatos tentaram manter uma narrativa paralela, afastando-se da estratégia de André Ventura de procurar ser o mais falado, seja nos apoios ou nas críticas. Esses candidatos foram Tiago Mayan e Tino de Rans que publicaram sobre diferentes assuntos para além do vermelho e do negro.

Por sua vez, Marcelo Rebelo de Sousa mantém nas redes uma discreta presença, optando por incursões cirúrgicas dos seus apoiantes para manter a visibilidade mínima no online. A pergunta que fica para os últimos dias é saber se a necessidade de dramatizar do atual Presidente da República sobre a possibilidade de abstenção para além dos 70% e uma segunda volta contra André Ventura irá ter algum reflexo nas redes.

 

Candidatos no Facebook

Entre 12 e 18 de Janeiro, André Ventura foi dominante no Facebook, com ecos da polémica “lábios vermelhos” e também do jantar-comício com 170 pessoas.

Nas publicações com mais interações no Facebook, os dois lugares cimeiros são de André Ventura, com publicações que geraram mais de 20 mil interações. No primeiro lugar, temos Ventura a assinalar o seu aniversário com uma foto ao espelho (21.828 interações). O seu aniversário, no dia 15 de janeiro, coincidiu também com o primeiro dia do novo confinamento geral, mas o candidato preferiu destacar que iria ser celebrado “no meio de uma campanha eleitoral”. O segundo lugar também pertence a André Ventura, com uma fotografia tirada no carro (20.449 interações), em que o candidato responde à polémica em torno dos lábios vermelhos, apontando para os olhos, dizendo que “um anti-olheiras dava jeito”. No terceiro lugar das publicações no Facebook temos uma imagem de Marisa Matias no debate a sete na RTP (6.301 interações). A imagem escolhida foi a que originou o comentário de Ventura sobre os lábios vermelhos, com a candidata apoiada pelo bloco de esquerda a apresentar-se como símbolo de um movimento que invadiu as redes sociais (#VermelhoEmBelem).

No ranking das páginas dos candidatos com mais interações, André Ventura continua destacado na liderança, com João Ferreira a ultrapassar Marisa Matias na luta pelo segundo lugar. O candidato apoiado pelo Chega, que tem o maior número de seguidores no Facebook (133 mil), conseguiu um total de 240 mil interações, com uma média de cerca de 6 posts por dia. No segundo lugar, João Ferreira, com 8,3 posts por dia, conseguiu mais 55 mil interações, um valor muito relevante se considerarmos que a sua página de campanha tem apenas 16 mil seguidores. Marisa Matias foi ultrapassada pelo candidato comunista e ficou em terceiro lugar, com 52 mil interações, isto apesar de contar com mais de 100 mil seguidores e de ter sido a segunda que mais publicou (9,6) – apenas atrás de Vitorino Silva (que se ficou pelo 8º lugar). Esta semana a página de apoio a Marcelo manteve o quarto lugar (cerca de 15 mil interações). Por sua vez, Ana Gomes subiu do 8º para o 5º lugar (13 mil interações). De notar ainda a performance de Tiago Mayan, que apesar de ter feito em média pouco mais de 3 posts por dia (3,3), conseguiu a segunda maior taxa de interação por seguidores (6%), apenas atrás de João Ferreira (6,11%).

No Facebook, ao contrário do que aconteceu no Twitter e Instagram, as publicações de André Ventura foram as que geraram mais interações. O aniversário do líder do Chega foi celebrado em força pelos seus apoiantes no Facebook, no mesmo dia em que Ventura partilhou “uma bela prenda de aniversário”, uma sondagem da Pitagórica para a TVI/Observador que o colocava em segundo lugar nas intenções de votos. De notar ainda um outro pico nas interações com André Ventura a 18 de janeiro, dia em que partilhou um vídeo do primeiro comício “Drive-In” realizado em Portugal. Entre os restantes candidatos destaque para a “luta” entre João Ferreira e Marisa Matias, com o candidato comunista a começar e a terminar a semana por cima, ou seja, Marisa só o superou nos dias da polémica dos lábios vermelhos.

No ranking das páginas de Facebook com mais interações em publicações sobre os candidatos, a grande surpresa é a descida da página de Camilo Lourenço para o quarto lugar e a ascensão das páginas de órgãos de comunicação social (OCS): na semana passada eram apenas 2 e esta semana são 7. Esta maior proeminência dos OCS é em parte justificada por notícias associadas às polémicas que envolvem a campanha de Ventura, como o movimento #VermelhoEmBelem ou o jantar comício que juntou 170 pessoas. Na liderança deste ranking está a página da SIC Notícias, que fez 78 posts em que mencionou os candidatos, com um total 64 mil interações. Também a TVI24 beneficiou da maior atenção à cobertura da campanha eleitoral, com 55 posts e 41 mil interações. No terceiro lugar ficou a página do partido Chega que fez 17 publicações, em grande parte a divulgar as ações de campanha de Ventura, que geraram 41 mil interações. Como referido, Camilo Lourenço desceu ao quarto lugar, conseguindo 40 mil interações em 3 vídeos. De notar, ainda, o aparecimento da jornalista Clara de Sousa, que fez um post a informar que iria ficar em isolamento após contacto com Marcelo Rebelo de Sousa, que teve um falso positivo para a Covid-19.

As publicações sobre os candidatos com mais interações são lideradas, precisamente, por Clara de Sousa (39.541 interações), a propósito da decisão de entrar em quarentena na sequência da infeção de Marcelo Rebelo de Sousa (que viria a não se confirmar). Os outros dois lugares que preenchem o Top 3 são ocupados, sem surpresas, por Camilo Lourenço, que num dos vídeos registou 20.735 interações e noutro 17.444.

EXTRA: Veja, em tempo real, a evolução diária dos candidatos no Facebook aqui: https://bit.ly/presidenciais2021

 

Candidatos no Twitter

No Twitter verificamos uma grande influência do fenómeno “lábios vermelhos”, que beneficiou sobretudo Marisa Matias e Ana Gomes, relegando Ventura para segundo plano.

No Twitter desta semana temos, pela primeira vez, Ana Gomes no primeiro lugar do Top das publicações virais. Ana Gomes juntou-se ao movimento #VermelhoEmBelem, publicando um vídeo em que pinta os lábios da cor criticada por André Ventura, alcançando 6.381 retweets (partilhas). Por comparação, a visada na polémica dos lábios vermelhos, Marisa Matias, publicou a fotografia do debate a sete na RTP e obteve “apenas” 706 retweets, entrando, ainda assim, no último lugar do Top 3 das publicações mais virais. De facto, o efeito surpresa do vídeo de Ana Gomes, tratando-se de uma candidata presidencial que também disputa um espaço político de esquerda, pode explicar o seu maior sucesso por comparação com Marisa Matias. Mas a verdadeira surpresa desta semana foi Vitorino Silva, que ficou no meio da disputa entre as candidatas presidenciais, ocupando o segundo lugar. No Twitter, o candidato apoiado pelo RIR publicou uma fotografia num encontro virtual para mostrar que está “Ligado ao mundo”, que foi partilhada 863 vezes.

Apesar da maior atividade dos candidatos, a evolução diária do número de tweets sobre os candidatos revela que o período dos debates televisivos, em particular os frente-a-frente que envolveram André Ventura e as duas candidatas de esquerda, geraram mais menções aos candidatos do que o período oficial de campanha, que se iniciou a 10 de janeiro. Nesta semana, o maior volume nas menções aos candidatos surge na sequência da publicação do vídeo de Ana Gomes a pintar os lábios, que gera reações além do espectro de esquerda.

A entrada na última semana de campanha é visível no aumento da atividade dos candidatos. O ritmo de publicações voltou a crescer e esta semana foi liderada por Ana Gomes, que fez 139 tweets (publicações próprias) e 51 retweets (partilha de publicações de outras contas), liderando também nas partilhas (7.052). Ao nível da atividade, João Ferreira ficou em segundo, com 126 tweets, o que gerou 2.538 partilhas na sua conta de campanha. No terceiro lugar da contabilidade dos tweets segue Marisa Matias (89), embora a candidata tenha sido a mais mencionada da semana (31.081) muito devido à hashtag #VermelhoEmBelem. Curiosamente, numa semana em que os lábios vermelhos invadiram o Twitter, André Ventura, ao contrário dos seus concorrentes, não registou um aumento de atividade assinalável, ficando-se pelos 34 tweets, atrás de Tino de Rans (66) e Tiago Mayan (63). Ainda assim, o candidato apoiado pelo Chega gerou comentários de muitos utilizadores, surgindo em segundo lugar nas menções (17.925).

Esta semana as contas que tiveram maior alcance foram as de Ana Gomes e Marisa Matias. O pico de visualizações aparece destacado, precisamente, a 15 de janeiro, dia de partilha do vídeo de Ana Gomes em solidariedade com Marisa Matias, apenas acompanhado da hashtag #VermelhoEmBelem. De registar ainda o dia 17 de Janeiro em que Tiago Mayan se aproxima das duas candidatas, na sequência da partilha de um cartaz colocado ao lado de outro de André Ventura, em que o candidato liberal se afirma como “Presidente de todos os portugueses (até dele)”.

A evolução diária das partilhas das publicações dos candidatos no Twitter revela um equilíbrio ao longo da semana, com um pico muito acentuado na conta de Ana Gomes, a 15 de janeiro. Curiosamente, a 17 de janeiro é Tiago Mayan que passa para a liderança das partilhas, a propósito do seu cartaz original que visa o candidato apoiado pelo Chega.

Apesar de Ana Gomes liderar nas visualizações e nas partilhas no Twitter, é Marisa Matias que lidera nas menções. E, se Ventura começou a semana da contagem das menções na frente, foi Marisa quem protagonizou o maior volume total. A solidariedade para com a candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda levou a que o twitter se pintasse de vermelho, surgindo um pico de menções a Marisa a partir, curiosamente, de 15 de Janeiro, dia do vídeo publicado por Ana Gomes.

As principais publicações sobre os candidatos com mais partilhas no Twitter foram críticas de André Ventura, com destaque para a hashtag #VermelhoEmBelem, que ocupa dois lugares do pódio. No primeiro lugar o utilizador Rodrigo cita Marisa Matias com um vídeo da candidata em declarações à RTP sobre o “insulto” de André Ventura (5.915 retweets). Em segundo lugar, surge um vídeo em que um aluno da faculdade de direito procura expor as contradições de André Ventura perante a Constituição da República (4.716 retweets). A outra publicação sobre os lábios vermelhos que se destacou está escrita em castelhano, e foi de Irene Montero, ministra da igualdade do governo espanhol e militante do Podemos, que se solidarizou com a candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda, e publicou uma fotografia de lábios pintados (3.694 retweets).

 

Candidatos no Instagram

No Instagram, as candidatas Marisa Matias e Ana Gomes foram impulsionadas pela hashtag associada aos lábios vermelhos, e a candidata visada na polémica destacou-se da concorrência. Isto numa semana em que Ventura, apesar do acelerar da campanha, optou por fazer pouco uso desta rede social, relegando maior atividade para a sua conta de campanha.

No Instagram, onde a cultura digital se expressa em imagens, a onda #VermelhoEmBelem faz o pleno nas publicações dos candidatos com mais interações, beneficiando Ana Gomes e Marisa Matias. No primeiro lugar surge Ana Gomes, mas curiosamente ao invés do vídeo que concentrou as atenções no Twitter, no Instagram partilhou um simples GIF com cores da campanha, que coloca a candidata a piscar o olho e com os lábios vermelhos, acompanhado de uma legenda que fala sobre a liberdade (8.822 interações). Por sua vez, Marisa Matias optou pelo mesmo conteúdo partilhado no Twitter, a fotografia retirada do debate a sete entre candidatos, e o mesmo texto descritivo (7.985 interações). A publicação que fecha o pódio no Instagram também é de Marisa Matias, com uma foto em que o seu mandatário surge de lábios pintados (6.689).

No ranking das contas com mais interações assistimos à liderança de Marisa Matias, com 69 mil (entre gostos e comentários). Ana Gomes, que ficou em segundo lugar, aumentou muito a sua atividade no Instagram, de 7 posts para 27, totalizando 33.200 interações. João Ferreira, que foi o mais ativo no Instagram com 45 publicações, ficou no terceiro lugar entre os candidatos, alcançando as 32.400 interações. Tino de Rans continuou esta semana a boa performance, repetindo o quarto lugar com 16.300 interações. De destacar também a queda de André Ventura para o penúltimo lugar (2.600 interações), registando apenas 1 post contra os 6 da sua conta de campanha (que ficou no lugar acima com 9.400 interações). Por fim, na semana em que Marcelo teve a primeira ação de campanha, a sua página de apoio no Instagram continuou sem publicar, a última vez foi a 19 de novembro de 2020.

No Instagram o gráfico das interações acompanha a tendência das outras redes sociais, ou seja, um pico no dia 15 de janeiro relacionado com o movimento #VermelhoEmBelem. Ainda assim, é de destacar que a semana começou com a liderança de João Ferreira, que no dia 13 publicou um excerto de vídeo do debate a sete na RTP, em que comparou os afetos de Marcelo à distribuição da riqueza nacional. Mas logo no dia 14 começou a levantar-se a onda de solidariedade com Marisa Matias. No mesmo dia 14 é também possível constatar que Tino de Rans ficou em segundo lugar ao nível das interações, batendo o record do maior número de posts num só dia (15). Também no Instagram o movimento #VermelhoEmBelem atingiu o seu pico a 15 de janeiro, beneficiando sobretudo Marisa Matias, mas também Ana Gomes.

Numa semana marcada pelo simbolismo dos lábios vermelhos, o post sobre os candidatos com mais interações está também carregado de simbolismo. A 17 de janeiro, dia de voto antecipado que foi tema nas redes sociais devido às enormes filas, o post em destaque que envolveu os candidatos foi de Nuno Lopes. O ator publicou uma fotografia com um boletim de voto cuja caneta e tampa escondem o candidato André Ventura, indicando assim em quem não ia votar (25.79 interações). No segundo lugar ficou um post que revela como o movimento #VermelhoEmBelem foi para além dos objetivos políticos originais, com a MidiaNinja a insurgir-se “contra o machismo em Portugal” (24.681 interações). A fechar, no terceiro lugar, encontramos um post sobre #VermelhoEmBelem sem lábios pintados, apenas uma frase num fundo preto com uma crítica direta a André Ventura (17.106 interações).

 


NOTA METODOLÓGICA: Este estudo destina-se a analisar quantitativamente a presença e atividade dos candidatos presidenciais e das suas campanhas em três das principais redes sociais em Portugal (Facebook, Twitter e Instagram). Para o efeito, estão a ser analisadas as páginas de Facebook e contas de Twitter e Instagram oficiais, do candidato e da campanha, de Ana Gomes, André Ventura, João Ferreira, Marisa Matias, Tiago Mayan Gonçalves e Vitorino Silva. Marcelo Rebelo de Sousa não dispõe de contas oficiais nestas redes sociais, mas estão a ser analisadas as principais contas de apoio à sua candidatura. Foram considerados todos os candidatos constantes do boletim de voto, com exceção do candidato Eduardo Baptista, que ainda não apresentou as proposituras necessárias para poder concorrer. Os dados são extraídos através das ferramentas Crowdtangle (para o Facebook e o Instagram) e Brandwatch (para o Twitter). A data de recolha de dados é aquela que se encontra assinalada em cada quadro. As métricas usadas para comparar o desempenho dos candidatos e a popularidade das publicações são as interações (reações, comentários e partilhas), no caso do Facebook e do Instagram, e as impressões (número de vezes que o conteúdo foi exibido) ou os retweets (partilhas), no caso do Twitter. Para identificar as publicações sobre os candidatos com mais interações foi feita uma pesquisa a partir dos nomes dos candidatos. A recolha e tratamento de dados é da responsabilidade do Medialab CIES Iscte-Iul. A metodologia detalhada deste barómetro pode ser vista aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.