Despistagem de desinformação política nas páginas: 29 de setembro a 05 de outubro de 2019

O projeto Monitorização de propaganda e desinformação nas redes sociais, desenvolvido no MediaLab ISCTE IUL, está a efetuar semanalmente a caracterização dos posts com conteúdo político que, dentro do conjunto de grupos de Facebook analisado, obtiveram o maior número de interações. Seguem alguns exemplos deste processo, com o link de acesso, a respetiva caracterização (segundo a rotulagem do projeto) e categorização (segundo as categorias do First Draft News, de Claire Wardle), assim como a justificação para ambas as tipificações.

Da totalidade de posts analisados distinguem-se:

  • 40% de posts em que não existem conteúdos imprecisos ou incorretos, quer pela sua natureza, quer pelo rigor dos factos apresentados;
  • 35% de posts com conteúdo impreciso, que pode induzir o recetor em erro.
  • 25% de posts com conteúdo incorreto, desinformando o recetor

 

Costa e idoso

Ver publicação no Facebook

Caracterização:

Factos imprecisos – no texto do post
Acusações infundamentadas – no texto do post
Spin de imagem – no link

Categoria: Misleading content

Justificação: 

O texto do post contém algumas acusações infundamentadas e uma interpretação não fundamentada de que António Costa tinha como objetivo agredir o cidadão que o abordou. O vídeo, exatamente o mesmo que surge no artigo da Direita Política – com a frase “António Costa tenta agredir cidadão que discorda dele” no canto superior, foi adulterado para conter essa frase no topo. O vídeo é o mesmo partilhado pela página Direita Política, que também se encontra no top desta semana.

 

Costa e idoso II

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Acusações não fundamentadas – no texto do post
Factos incorretos – no texto do post

Categoria: Misleading content

Justificação: 

O uso da palavra ditador está incorreta face ao atual sistema político português. A inferência causal de que António Costa queria bater no indivíduo que o abordou e que estaria cheio de ódio são acusações não fundamentadas. 

 

Joacine Katar

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Factos incorretos – no texto do post
Acusações infundamentadas – no texto do post
Factos incorretos – no link
Spin de imagem – no link

Categoria: Manipulated content

Justificação:

A presente publicação já foi alvo de verificação pelo Polígrafo que descobriu vários outros vídeos da candidata do Livre com diferentes graus de gaguez. O Polígrafo confirmou ainda junto de especialistas de terapeuta da fala que é perfeitamente natural os níveis de gaguez variarem de acordo com os contextos. A acusação não fundamentada de que a gaguez é forçada por motivos de interesse eleitoral agrava o nível de desinformação desta publicação. 

 

Mário Gonçalves e os idosos

Ver publicação no Facebook

Caracterização:

Reciclagem – no post
Factos imprecisos – no link
Spin de imagem – no link
Factos incorretos – no link
Título incorreto – no link

Categoria: Manipulated content

Justificação: 

Mário Gonçalves faz uma reciclagem de um artigo seu de 10 de agosto de 2019, com uma série de sugestões de interpretação imprecisas:

  • Não vai haver reformas no futuro.
  • A expressão “só em portugal” quando há países, até da UE, onde os valores das reformas são inferiores.
  • A ligação causal entre as baixas reformas e os “milhões”.
  • A reforma de 250 euros para quem “trabalhou uma vida” – O valor para quem tem mais de 30 anos de desconto são cerca de 400 euros. O valor para quem nunca descontou é inferior aos 250, mas não é isso que infere o título do artigo.

O artigo conta ainda com algumas acusações não fundamentadas: grupo de “ladrões”; “corruptos ganham milhões“.

A imagem utilizada é uma stock photo e não é de Portugal.

 

Iémen

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Acusações não fundamentadas – texto do post
Reciclagem – no post

Categoria: Não aplicável. 

Justificação: 

Publicação retirada de outra página de Facebook, o Fórum da Escolha, como indica no texto do post, que remete para um artigo de um OCS brasileiro de dezembro de 2018 

 

Pedrogão

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Reciclagem – no post
Timing fora de contexto – no post
Acusações não fundamentadas – no texto do post
Factos incorretos à data atual – no post

Categoria: Manipulated content

Justificação: 

O artigo de Mário Gonçalves surge em fevereiro de 2019, na sequência de uma reportagem da TVI que dava conta de vários donativos que ainda se encontravam em armazéns e de diversas irregularidades envolvendo os mesmos.

O caso estava a ser investigado pelo MP desde julho de 2018 na sequência de uma denúncia do Expresso mas acabou por ser arquivado sem ter sido provado o desvio de donativos. Os materiais que se encontravam no armazém, e cuja imagem Mário Gonçalves mostra no artigo, foram retirados do local poucos dias depois da reportagem da TVI.

Entretanto o Tribunal de Contas fez uma auditoria ao donativos e ao seu possível uso num esquema fraudulento de reconstrução de algumas casas. O Tribunal de Contas efetuou uma série de críticas à forma como está a ser gerido o fundo e o Ministério Público já efetuou 28 acusações formais, incluindo o antigo presidente da Câmara Municipal de Pedrogão Grande, Valdemar Alves.

Face a estes desenvolvimentos a partilha deste artigo antigo, e sobretudo do post que o acompanha é desinformativo porque não tem em conta as atualizações que entretanto ocorreram envolvendo este processo, designadamente a acusação de alguns daqueles que Mário Gonçalves identifica.

 

Costa e Idoso III

Ver publicação no Facebook

Cópia integral da publicação supra por parte do Fórum da Escolha

Caracterização: ver supra

Categoria: ver supra

Justificação: ver supra

 

Costa e idoso IV

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Factos imprecisos – no texto do post
Acusações não fundamentadas – no texto do post
Acusações infundamentadas – no texto do post
Acusações infundamentadas – no link
Título impreciso – no link
Factos imprecisos – no link

Categoria: Misleading content

Justificação: 

Tanto o texto do post, como o artigo em link contêm algumas acusações não fundamentadas e uma interpretação infundamentada de que António Costa tinha como objetivo agredir o cidadão que o abordou. O vídeo, uma reportagem televisiva da CMTV, foi adulterada para conter o texto no topo: “António Costa tenta agredir cidadão que discorda dele”.

 

Clinica Maló

Ver publicação no Facebook

Caracterização:

Factos incorretos – no meme
Factos imprecisos – no meme
Spin de imagem – no meme

Categoria: Manipulated content

Justificação: 

O meme supra contém uma série de factos incorretos e/ou imprecisos. O primeiro é que o edifício Green Park onde se encontra a sede da clínica não foi construído e/ou alguma vez foi posse da Clínica Maló, que era de facto inquilina de parte do edifício e não da sua totalidade. 

A segunda ideia, imprecisa é que o banco perdoou a dívida à Maló Clinic, quando esse perdão surge no âmbito do Processo Especial de Revitalização de que a empresa está a ser alvo, e não de uma decisão da instituição bancária, mas sim de decisão no âmbito do PER. 

A Maló encontra-se sobre administração judicial e a decisão foi mais favorável ao Novo Banco que ainda prevê recuperar 38,5% da dívida comparativamente à Segurança Social e Caixa Geral de Depósitos, que foram considerados “credores comuns” vendo assim 90% da dívida perdoada. 

Na verdade, os bancos credores até estão a procurar outras vias para tentar recuperar o dinheiro emprestado, designadamente em ações contra o antigo proprietário. 

Acrescente-se que esta narrativa desinformativa não é nova, tendo mesmo, aparentemente, chegado a um Deputado do PS. Destaque-se que a responsabilidade aqui também é dos OCS e dos títulos escolhidos

 

Irmãs Mortágua

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Acusações infundamentadas – no post
Acusações infundamentadas – no meme
Spin de imagem – no meme

Categoria: Misleading content

Justificação: 

Meme e texto do post são uma sugestão de interpretação com acusações infundamentadas, designadamente a ideia de que os assaltos de Camilo Mortágua seriam para usufruto pessoal e não para fins revolucionários, quando os testemunhos do mesmo e dos restantes envolvidos não apontam nesse sentido.

 

PAN

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Acusações não fundamentadas – texto do post
Acusações infundamentadas – no link
Spin de imagem – no link

Categoria: Misleading content

Justificação: 

Artigo de 30 de setembro do Direita Política que faz uma série de acusações não fundamentadas e faz o spin de uma imagem de paródia do programa “Gente que não sabe estar da TVI” .

 

Ambientalista simplório

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Cópia seletiva – no vídeo
Imagem manipulada – no vídeo
Uso descontextualizado de fontes fidedignas – no vídeo

Categoria: Manipulated content; false connection

Justificação: 

O vídeo apresenta uma leitura que o apresentador da Sic Notícias, José Gomes Ferreira, faz de um artigo de opinião de Junho de 2019, de Luís Ribeiro, publicado na Visão. Antes de começar a recitar este artigo de opinião, José Gomes Ferreira identifica o autor. No entanto, nesta versão, igual na totalidade ao vídeo publicado no canal de YouTube de Beatriz Sousa (Direita Política), essa parte foi cortada. Esse corte induz no erro de que se trata da opinião do mesmo, facto incorreto veiculado depois em outros produtores de conteúdo desinformativo já identificados no âmbito deste projeto. 

 

Socialistas e os pobres

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Acusações infundamentadas – no texto do post
Factos incorretos – no texto do post
Spin de imagem – no link

Categoria: Misleading content

Justificação:

Tanto o texto do post como o artigo da Direita Política de 04 de Outubro têm uma série de acusações não fundamentadas, destacando-se o facto impreciso de os governos socialistas estarem associados a um aumento da pobreza, quando na realidade, pelo menos relativamente ao último, os dados apontam em sentido contrário.

Acresce o spin com a imagem escolhida, em que surgem António Costa e José Sócrates.  

 

Carlos César

Ver publicação no Facebook

Caracterização: 

Reciclagem – no post
Acusações não fundamentadas – no texto do post
Acusações não fundamentadas – no link

Categoria: Não aplicável

Justificação: 

Texto do post com algumas acusações não fundamentadas que remetem para um artigo de abril deste ano sobre membros da família de Carlos César que ocupam cargos na administração pública. As acusações já foram verificadas pelo Polígrafo que confirma a ligação familiar, ressalvando que não há como comprovar se em alguns desses casos houve intervenção do dirigente do PS. 

 

NOTA METODOLÓGICA

Esta despistagem analisa os 20 posts com mais interações publicados nas páginas de Facebook monitorizadas pelo projeto Monitorização de propaganda e desinformação nas redes sociais na semana de 29 de setembro a 05 de outubro de 2019.

Cada um desses 20 posts foi analisado para determinar a sua veracidade, em primeiro lugar, e – no caso de incluir desinformação – que tipos de desinformação lhe estão associados.

Para caracterizar a desinformação é usada uma nomenclatura desenvolvida pelo projeto e para os categorizar recorre-se aos 7 tipos de desinformação do First Draft.

A identificação das pessoas que publicaram os posts nos grupos monitorizados foi ocultada por razões de privacidade.

Coordenação: Gustavo Cardoso

Codificação e análise: Inês Narciso

Este projeto de investigação é realizado em parceria com o Diário de Notícias e com o apoio do Democracy Reporting International.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.