Desinformação política: 15 a 21 de setembro de 2019

BARÓMETRO MEDIALAB ISCTE-IUL

[Uma colaboração entre o MediaLab ISCTE-IUL e o Diário de Notícias, com o apoio da Democracy Reporting International. Ver nota metodológica no final.]

Na semana de 15 a 21 de Setembro, foram publicados 1778 posts nas 44 páginas monitorizadas no Barómetro de Desinformação Política e mais de 14 mil posts (2073 por dia, em média) nos 40 grupos públicos que estamos a acompanhar. No primeiro caso, esses posts geraram um total de 222 mil interações (‘likes’, comentários e partilhas) e no segundo resultaram num total de 537 mil interações. Neste barómetro é monitorizado todo o conteúdo publicado nas páginas e nos grupos identificados – independentemente de poder ser caracterizado como desinformação ou não.  Num outro output previsto para este projeto de investigação, uma parte desses conteúdos será analisada de forma a determinar se se trata de desinformação ou não e, se sim, que tipos de desinformação. Nesta parte do barómetro aquilo que é analisado é o total de posts publicados nas páginas e grupos monitorizados. Veremos de seguida uma parte desses resultados.

 

PÁGINAS MONITORIZADAS

Na semana em análise, as páginas mais populares foram ‘O País do Mete NOJO’ e a página ‘Mário Gonçalves’, com 66 mil e 64 mil interações (‘likes’, comentários e partilhas), respetivamente. De notar que a primeira página obteve esse resultado com 364 posts, no total, enquanto que a segunda o obteve com apenas 33 posts ao longo da semana.

Quadro 1: Páginas com mais interações entre os dias 15 e 21 de Setembro, nas 44 páginas monitorizadas

 

Na semana em análise, as principais fontes de informação utilizadas nestas 44 páginas foram sobretudo os sites associados: Mário Gonçalves, Tuga Press e Direita Política. A primeira fonte de informação ‘oficial’ – o site do ‘Público’ surge apenas na 12ª posição deste ranking.

Gráfico 1: Fontes de informação mais utilizadas nos conteúdos partilhados pelas 44 páginas monitorizadas. Ranking ordenado por interações (‘likes’, comentários e partilhas).

 

As entidades mais referidas nesta semana no conjunto dos posts publicados pelas 44 páginas monitorizadas, ordenados por interações, foram a Europa, José Sócrates e o PAN, com 11 mil, 10 mil e 9700 interações, respetivamente.

Gráfico 2: Entidades e temas mais referidos no conjunto dos posts publicados pelas 44 páginas monitorizadas entre 15 e 21 de Setembro de 2019. Análise realizada com recurso à ferramenta Watson da IBM

 

GRUPOS MONITORIZADOS

Nessa mesma semana, entre 15 e 21 de Setembro deste ano, de entre os 40 grupos abertos do Facebook que estamos a monitorizar, os que conseguiram um maior número de interações (‘likes’, comentários e partilhas) foram o ‘Portugal a Rir’ e o ‘Grupo de Apoio ao Juíz Carlos Alexandre’. Apenas numa semana, estes dois grupos registaram ambos mais de dois mil posts publicados e mais de 200 mil interações conseguidas.

Quadro 3: Grupos com mais interações (‘likes’, comentários e partilhas) entre os dias 15 e 21 de Setembro, no conjunto do 44 grupos públicos monitorizados

 

As fontes de informação mais utilizadas pelos 14 mil posts publicados no conjunto destes 40 grupos públicos do Facebook na semana em análise incluem os sites Tuga Press, Direita Política e SIC Notícias.

Gráfico 3: Fontes de informação mais utilizadas nos conteúdos partilhados pelos 40 grupos públicos monitorizadas. Ranking ordenado por interações (‘likes’, comentários e partilhas).

 

Ainda no que se refere às fontes de informação dentro destes grupos, o YouTube foi a fonte usada com mais frequência, seguido do Observador e do Público. O site Direita Política é a primeira fonte de informação ‘não oficial’ a surgir neste ranking, ordenado não por interações, mas sim por posts publicados.

Gráfico 4: Fontes de informação mais utilizadas nos conteúdos partilhados pelos 40 grupos públicos monitorizadas. Ranking ordenado por quantidade de posts usando essas fontes.

 

NOTA METODOLÓGICA

Este estudo monitoriza, agrega e contabiliza todos os posts publicados entre os dias 15 de Setembro e 21 de Setembro de 2019 em 44 páginas públicas e 40 grupos públicos no Facebook. Estas páginas e grupos foram escolhidos em função do número de fãs ou membros, da quantidade de conteúdos de caráter político e da frequência de publicação de posts contendo conteúdos de desinformação, usando uma metodologia combinando várias ferramentas de pesquisa. Estas páginas e grupos públicos serão monitorizados semanalmente durante o período eleitoral e até à constituição do governo resultante das eleições. Do total de posts recolhidos, os que tiveram maior alcance estão a ser recolhidos para posterior análise dos tipos de desinformação envolvida, quando existe. Este projeto de investigação é realizado em parceria com o Diário de Notícias e com o apoio do Democracy Reporting International.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.